3 Erros que você não pode cometer com os HDs do seu servidor.





1. Instalar em servidores HDs que foram projetados para serem instalados em Desktops

Parece óbvio, mas muitos profissionais cometem este erro por julgar que os as tecnologias empregadas em ambos os tipos de discos são as mesmas, o que não é verdade.
 
Os HDs de Desktops contam com tecnologia de recuperação de dados que trabalham na identificação de erros no HD e re-alocação de dados problemáticos, o que pode ser demorado.
Geralmente servidores trabalham em RAID e as controladoras são geralmente programadas para tolerar uma espera de tempo de recuperação muito baixa o que leva a controladora a retirar o disco do array ( arranjo) pois o disco entra em um ciclo de recuperação profunda.
 
Solução: Adquira discos próprios para servidores e ou que contenha tecnologias como  Time-Limited Error Recovery (TLER) da Western Digital, Error Recovery Control (ERC)  da Seagate, and Command Completion Time Limit (CCTL) da Samsung and Hitachi. Assim os discos serão impedidos de entrarem em recuperação profunda e no caso de alguns fabricantes esse tempo de recuperação será de apenas 7 segundos, não prejudicando o array do RAID, pois as controladoras tem um tempo de tolerância de 7-15 segundos de espera para a recuperação.



2. Não fazer teste Burn-in nos discos antes de instala-los


A falta de planejamento e a falta de atitude proativa na aquisição de discos levam os profissionais adquirirem discos quando já precisam deles e a troca tem que ser imediata.


Em consequência disso não fazem testes Burn-in nos discos e deixam de identificar problemas  antes de instala-los .


O que é teste Burn-in ? Como testar meu HD ?


É um teste que se faz em equipamentos e ou peças de eletrônicos para aplicar um stress ,para identificar problemas. A teoria é que alguns componentes já apresentam problemas nas primeiras horas ou dias de uso. O teste Burn-in pode ajudar a identificá-los. Tem vários softwares para isso veja aqui uma lista de softwares


Alguns fabricantes já fazem os seus testes Burn-in nos seus equipamentos, mas alguns fazem apenas por amostragem , ou seja, nem todos os equipamentos são testados, apenas alguns lotes e por isso HDs defeituosos ou mais frágeis  podem chegar até você.


3. Não levar em consideração a obsolescência funcional planejada do fabricante do HD 

Nenhum produto foi criado para durar a vida toda e não é diferente com os HDs , os Hds têm uma vida útil como todo outro produto , então por este motivo devemos planejar as trocas dos discos regularmente. A troca dos discos de forma regular, vai nos oferecer duas vantagens, a vantagem de se ter um HD de tamanho maior e a vantagem de pro-agir para termos sempre equipamentos em ótimo estado no servidor.



Conclusão 

Seguindo estas diretrizes básicas você terá um ambiente mais estável e seguro, do ponto de vista da integridade e eficiência dos dados.



Alexander Silva

Alexander Silva é Diretor e fundador da AS tem vasta experiência em treinamento e capacitação de profissionais de TI, experiência essa adquirida com mais de 10 anos atuando no mercado. Alexander Silva é Linux: LPIC-1 | LPIC-2 | CLA Novell - SUSE Linux Certified | CompTIA Linux + Microsoft: MCP | MCTS | MCSA | MCSE

You may also like...